7 da tarde e ainda não lavei os dentes

Ontem fui ouvir música do meu tempo

Ontem fui ao Alive, mais de um ano depois do último concerto a que assisti. Os Foo Fighters foram incríveis, tocaram durante mais de duas horas, e muitas das músicas fizeram-me recuar uns bons aninhos (já sabem que agora dei nisto de viajar no tempo, é capaz de ser da idade!)

Cresci a ouvir música. Primeiro por influência do meu pai e do meu tio Lio, e depois porque percebi que precisava dela para viver – e isto nem sequer é um esforço meu para escrever uma frase bonita, é mesmo assim: a música ajudava-me a compreender o turbilhão de emoções que ia no meu peito, principalmente na adolescência. A verdade é que as músicas cantadas pelo Stipe, pelo Vedder, pelo Cobain ou pelo Cornell traduziam de forma mais doce ou mais amarga – mais melancólica ou mais alegre – aquilo que eu sentia.

Ontem, enquanto vibrava com o rock dos Fighters, lembrei-me do melhor concerto a que fui (e que dificilmente voltará a acontecer). R.E.M no Pavilhão Atlântico, em 2005. Lembrei-me do sprint que fiz quando as portas abriram, para garantir um lugar na primeira fila – acho que nunca mais voltei a correr assim na vida! Lembrei-me de olhar, daquele lugar mágico na frente, para o Michael Stipe em palco, com a admiração que o talento justifica, mas também com o carinho de quem olha para alguém que conhece tão bem que é como se fosse da família.

Lembrei-me do tempo em que os concertos ainda não tinham dress code, pulseiras VIP e meninos com mochilas a vender cerveja entre a multidão. Era tudo sobre a música, no tempo em que eu tinha tempo para a escutar com atenção.

Ontem, para ser perfeito, só faltou esta.

Um comentário em “Ontem fui ouvir música do meu tempo

  1. Tem mesmo de ser?

    Olá Catarina, Em boa hora te leio 🙂 Não fui ao Alive… porque embora goste de Foo Fighters gostava era de ouvir Nirvana. E se soubesses o quanto me revejo no que escreves ainda te punhas a pau com a possibilidade de ser uma qualquer stalker (até porque não tenho 3 filhas e isso, parecendo que não, deixa-me muito tempo livre :p) mas não… gosto tanto de ler como de escrever mas não tenho a tua coragem de publicar.
    Beijinhos e vou-te lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *