7 da tarde e ainda não lavei os dentes

Foi um fim-de-semana dos diabos!

Este fim-de-semana foi dos diabos.

E não porque tenha corrido bem! A mais nova é que parecia possuída pelo demo.

Passámos os dias a correr atrás dela. Literalmente! E como esteve muito frio para as nossas bandas, acabámos por ficar mais por casa – o que é meio caminho andado para a coisa descambar.

Foi mais ou menos isto que aconteceu: tentou subir a escada umas 20 vezes (a cancela partiu-se e estamos à espera da nova); tentou pintar a parede umas 5 ou 6 vezes – cheguei sempre a tempo de lhe tirar a caneta/lápis/pincel da mão; deu em levantar-se da cadeira de alimentação, mesmo com o cinto apertado; chorou sempre que virei as costas para ir da sala à cozinha buscar alguma coisa; chorou sempre que o pai virou as costas para ir da sala à cozinha buscar alguma coisa. Fez sempre birra para dormir a sesta e demorou sempre a adormecer.

Eu gosto muito de estar em família, palavra que gosto, mas esta mais nova dá-nos conta da cabeça!

Esta manhã, quando acordei, tinha a sensação de ter sido atropelada por um comboio. O que vale é que me lembrei que era segunda-feira e, em breve, depois de as deixar na escola, iria ter a minha vida de volta.

Estas passaram o fim-de-semana a fugir da irmã. E eu, se pudesse, tinha fugido de todos!

3 comentários em “Foi um fim-de-semana dos diabos!

  1. Clara

    Estou solidária.
    A minha mais nova também se chama Leonor. E é a principal razão porque não tive mais filhos. Não foi a minha idade ou o facto do parto dela ter sido o quinto e ter corrido muito mal. O que me fez desistir de ter mais filhos foi uma Leonor a gritar dia e noite durante dois anos. E de passar os restantes seis até hoje a fazer birras todos os dias. Todos. Especialmente aos fins de semana, dias Santos e feriados. Amo-a com todas as minhas forças, mas tenho muita dificuldade em aturá-la. Quando quer é um doce, mas 90% do tempo faz birras, faz a vida negra aos irmãos, ao pai e a mim. Na escola é um anjo, um exemplo de bom comportamento e boa aluna.
    E não, não tem nenhuma perturbação mental, atraso de desenvolvimento ou deficiência. Fiz questão que fosse avaliada duas vezes. E foi, e em dois países diferentes. É mesmo assim, dizem que não é defeito, é só mesmo feitio.
    Daqui a quatro anos entra na adolescência, só de pensar…medo. Muito medo. :DDD

    1. Catarina Fernandes Raminhos Autor

      Olá Clara,
      Já deixou o seu testemunho há vários dias mas – não sei bem porquê – não o tinha visto antes.
      No entanto, não quero deixar de lhe responder, porque entendo perfeitamente o que sente – é até a sua frustração no sentido de aquilo que investe (tempo, afectos, valores, …) parecer não ser recompensado.
      Eu acho que eles têm sempre fases e pode ser que depois desta venha uma mais amena 🙂
      Um beijinho grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *